quarta-feira, 12 de junho de 2013

Comemorando

Quando vieram com a ideia de fazer o primeiro churrasco lá na roça, não me animei muito. Era uma época de muito estresse e preocupações e eu não estava no clima de comemorar. Sem contar que não tínhamos água encanada, eletricidade e nem banheiro. Fui contra. Preferia esperar até as coisas estarem mais organizadas. Mas como a maioria do povo aqui é meio doida (e o restante é doido inteiro), fui voto vencido e logo se organizou todo um plano de ação pra fazer o churrasco, que aconteceu literalmente no meio do mato e, surpreendentemente, foi muito bom!


A estrutura foi completa, com direito a cadeiras e mesinhas, caixa térmica para as bebidas e caixa de som com ótima trilha sonora, sem esquecer as sacolas pra recolher o lixinho normal e o reciclável!



Ops! El Zorrero achou a carne que estava descongelando na água....
  Eu já estava toda animada, e tinha até esquecido dos problemas da falta de energia e água encanada, que afinal acabaram nem fazendo falta... Mas o melhor ainda estava por vir: de repente aparece uma faixa sendo desenrolada! Pode parecer uma coisa simples, mas essa surpresa dos nossos amigos significou demais pra mim. Parece que fez cair a ficha: já é hora de comemorar sim!


Momento romântico!

Quando o Leandro me largou no chão, pensei: "Nossa, será que estou tão pesada assim?" Mas era o Franco Túlio, destruindo com o clima de romance.
Socorro! Frida, me salva! Tô esmagada aqui embaixo!
Pra completar a bagunça: momento "vamos jogar todo mundo na água"!
Começou com o Luís Henrique, que estava todo desprevenido. Olha ele lá no fundo, todo molhado.
Não adianta fugir, Franco. Você não vai escapar impunemente.

O Neto não queria ir pra água de jeito nenhum, tadinho! Olha a cara de desespero!
Mas não teve jeito... Não escapou...
O que que é isso, gente? Balé aquático????

Volta aqui! Ainda não acabou!


Depois de tanta bagunça,  Frida foi descansar, curtir uma sombra...
Enquanto El Zorrero relaxa, enterrado na areia.

Foi tudo perfeito. Ou quase... só porque certas pessoas passionais e exageradas têm um pouco de dificuldade de perceber que certas bebidas alcoólicas não podem ser misturadas com certas outras bebidas alcoólicas e muito menos em certas quantidades. Bom, pra não entrar em mais detalhes que poderiam ser irritantes, a noite terminou comigo dirigindo pela estrada escura, levando certas pessoas passando mal pra casa. Dizem que subi o barranco pisando tão duro quanto uma égua Mangalarga, e que quase deixei a Frida pra trás. A Regina avisou: "Giselle, olha a Frida ficando aqui!" E eu : "FRIIIIIIIDAAAAAAAA!" A pobrezinha da cachorra veio voando pra dentro do carro. Mas o pior momento foi a hora do confronto, porque certas pessoas não admitem seus erros de jeito nenhum: "Então você acha que não passou da conta na bebida?" "Não!" "Mas então por que é que você tá passando mal desse jeito?" Com a cara mais inocente do mundo: "Porque o Neto caiu em cima de mim lá no rio, quando a gente tava brincando de luta, e ele é muito pesado." Eu aguento? Mas como comédia é igual a tragédia mais tempo... Hoje morro de rir lembrando desse dia divertidíssimo. E, tá bom, eu admito: não precisava ter ficado tão brava, não. Foi exagero meu. Eu também sou um pouco passional e exagerada. Mas exagerado mesmo é o meu amor por certas pessoas... Esse não acaba nunca.